Gestão do desempenho na administração pública: o caso da TI governo

Maria Amélia Fetzner, Andrea Poleto Oltramari, Pelayo Munhoz Olea
  • Revista de Administração Contemporânea, October 2010, FapUNIFESP (SciELO)
  • DOI: 10.1590/s1415-65552010000500014

Gestão do desempenho na administração pública: o caso da TI governo

What is it about?

Lucas sentira-se realizado até então. Formado em análise de sistemas, depois de algumas experiências profissionais em empresas privadas ingressara na TI Governo, empresa pública do segmento de Tecnologia de Informação [TI]. Em poucos anos sua dedicação e inteligência fizeram com que fosse reconhecido pelas chefias e indicado para cargos de responsabilidade e amplitude crescentes, até assumir a Gerência da área de Desenvolvimento de Sistemas. Gostava da empresa que lhe dera excelentes oportunidades profissionais e lhe permitia ter clientes muito diversificados. Mas, mais do que tudo, lhe agradava ser parte de um projeto político com o qual se identificava. Tudo isso lhe ocorreu enquanto terminava de atender à ligação de um irado chefe de gabinete. Em resumo, este estava apreensivo com a inauguração do Portal do Cidadão. Lucas sabia que não seria fácil tranquilizá-lo, pois enfrentava uma série de imprevistos para a conclusão do trabalho, desde a falta de pessoal no cliente em condições de colaborar no desenvolvimento dos sites institucionais até problemas estruturais e de pessoal interno. Mas ele não deixou transparecerem as dificuldades, questionando quando é que a empresa havia deixado de cumprir o acertado. Finalizou: “garanto que no dia previsto o portal estará no ar”. Lucas entendia o chefe de gabinete. Sabia da cobrança da sociedade sobre as empresas públicas e da necessidade e importância de prestar serviços de qualidade à população. Pensou se de fato conseguiria manter a promessa e se aquele era o momento de colocar em prática uma ideia que lhe vinha cada vez com mais frequência à cabeça. A Empresa precisava ter novamente um processo de Avaliação de Desempenho [AD]. Acreditava que a avaliação poderia ser um instrumento para trabalhar a melhoria e qualificação do pessoal e para potenciar resultados, permitindo o gerenciamento do pessoal em sintonia com os objetivos dos projetos idealizados pela Empresa, como o próprio Portal. Isto não seria fácil, devido à história ‘traumática’ da AD na empresa e à cultura de organização pública, onde nem sempre o mérito é o principal valor. Além disso, haveria demandas de novas competências gerenciais, repercussões emocionais e até sobre a sua própria carreira. Enquanto se preparava para falar com o responsável pelo Portal, Lucas refletia se devia implementar um novo processo na Empresa e, em caso afirmativo, como conduzi-lo.

Read Publication

http://dx.doi.org/10.1590/s1415-65552010000500014

The following have contributed to this page: Dr Pelayo Munhoz Olea