Além do associativismo tradicional: novo formato de gestão de uma cooperativa de compras

Claralucia Machado, Pelayo Munhoz Olea, Sylvia Maria Azevedo Roesch
  • Revista Brasileira de Casos de Ensino em Administração, April 2014, Fundacao Getulio Vargas
  • DOI: 10.12660/gvcasosv4n1c5

What is it about?

A Unitudo é uma empresa que surgiu em meados de 2000, como forma de enfrentar o poder de compra das grandes redes supermercadistas e pela necessidade de tornar os pequenos varejistas mais fortes nas negociações de compra com grandes fornecedores, players de mercado. Durante aproximadamente 10 anos de atividade, a Unitudo operou apenas como uma central de compras, efetivando negociações junto a fornecedores a fim de garantir melhores preços. A forma de negócio adotada era o associativismo, e não havia a preocupação dos gestores da época em ampliar o formato do negócio, a ponto de padronizar operações e estratégias. Com o advento da nova administração, em 2010, a Unitudo passou a atuar de maneira mais ampla, operando não só como central de compras. A empresa passou por uma reestruturação estratégica que mudou a sistemática de operação de rede associativista para rede licenciadora de marca, onde objetivos inicialmente mais restritos (realização de compras em grande volume) deram lugar a objetivos mais amplos que contemplavam padronizações e uso da marca, planejamentos e controles de operações de cada loja integrante. Para tanto, foi criado o manual de padronização da Unitudo, que definiu as linhas operacionais da empresa, a padronização das lojas e a comunicação. Devido a essa mudança no formato de operação da Unitudo, o atual presidente, Sr. Rafael, está enfrentando diversos problemas de ordem gerencial, no que diz respeito à resistência por parte dos agora licenciados em adequarem suas lojas de acordo com a padronização proposta pela empresa.

Read Publication

http://dx.doi.org/10.12660/gvcasosv4n1c5

The following have contributed to this page: Dr Pelayo Munhoz Olea